Hypalon ou PVC

Quais as diferenças entre Hypalon e PVC?

Existem no mercado (inclusive internacional), dois tipos de infláveis. Os construídos em Hypalon e os em PVC.

Hypalon é um elastômero (uma espécie de borracha nobre), resistente à abrasão, raios solares, agentes químicos e ação do tempo. É composto por uma trevira de nylon que torna o tecido extremamente resistente a rupturas e garante estabilidade dimensional (o barco inflável não sofre alteração de formato ao longo do tempo).

O processo de fabricação do Hypalon pode ser:

Calandragem – É um processo contínuo que consiste em alimentar o polímero (fundido/amolecido e homogeneizado) nos cilindros aquecidos de uma calandra. Esse processo garante uma espessura uniforme.

Espalmagem – Processo pelo qual a massa de elastômero é depositada sobre um determinado substrato, impregnando-o. Isto é, a matéria-prima é derramada sobre uma esteira onde, com o auxílio de um rodo, o elastômero é espalhado sobre a trevira de nylon. Não há garantia de espessura e, portanto, não é considerado um produto de boa qualidade. Esse é um processo normalmente usado no Hypalon proveniente da Argentina.

PVC é um plastômero com resistência limitada à abrasão, e nenhuma resistência a raios solares e agentes químicos. Com o passar do tempo, sua cor perde a vida, assim como a de qualquer plástico. Pior do que isso é que os plastômeros são originalmente rígidos (nascem duros como uma caneta esferográfica). Para ficarem flexíveis, a indústria adiciona óleo  ao produto.

Outro detalhe importantíssimo é que os plastômeros são porosos. Quando a indústria adiciona o óleo na composição do produto, este, por um período, tampa os poros do tecido eliminando vazamentos; mas com a ação dos raios ultravioletas, o óleo migra para fora do tecido deixando os poros livres para passagem de ar.

É salutar ainda informar que, os plastômeros com fechamento por soldagem a quente (radiofreqüência ou solda eletrônica) não permitem abrir os flutuadores novamente para efetuar um reparo, e de certa forma, no arremate da soldagem, momento em que se têm que tirar a máquina de dentro do tubo, é necessário colar o restante da emenda, exigindo um adesivo (cola) para complementar a operação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.